Versão para impressãoSend to friend
Palestinian Grassroots Anti-apartheid Wall Campaign

Atualização de Violações - 22/11/2014 até 28/11/2014

A ocupação israelense está aumentando seus crimes contra o povo palestino e suas propriedades com ataques que variam entre roubo de terras, ataques racistas cada vez mais brutais por colonos e uma série interminável de ações judiciais e administrativas. Tais ações são claramente racistas, aprovadas e implementadas pelo governo de ocupação, especialmente em Jerusalém. Abaixo está um resumo de alguns destes ataques que têm sido documentados.

Jerusalém:

Ao longo da última semana, pelo menos dez ataques isolados contra cidadãos palestinos de Jerusalém foram realizados pelos colonos. Muitos deles dirigidos às crianças e jovens.

Um grupo de colonos atacaram três homens palestinos do bairro Al Musrarah, perto do Portão de  Damasco, na Cidade Velha. Enquanto eles estavam dirigindo seu veículo em Jerusalém, os colonos quebraram as janelas do veículo, furaram os pneus com barras de aço e, em seguida, agrediram fisicamente os três homens. Como resultado,  Ahmad Al Ghoul, de 22 anos, sofreu uma hemorragia no olho.

Em um caso semelhante, um grupo de colonos furaram os pneus de muitos carros estacionados no bairro palestino Beit Safafa em Jerusalém e escreveram slogans racistas como "matar todos os árabes" sobre os carros. Outro grupo de colonos atacaram trabalhadores árabes com paus, barras de aço e gás em chamas enquanto eles estavam trabalhando no mercado de vegetais "Maané Yahoda". Além disso, occoreu o esfaqueamento por um grupo de colonos de um jovem trabalhador palestino enquanto estava trabalhando em um posto de gasolina no assentamento "Pizgat Ze'ev". O jovem teve que ser transportado para tratamento de emergência no Hospital Ain Karem hospital.

Em Silwan, outro bairro histórico palestino em Jerusalém, uma colona invadiu a casa de Nema Abu Hadwan, de 57 anos de idade, e a atacou com gás de pimenta enquanto estava dormindo. Outro grupo de colonos agrediram Bara'a Abu Sneneh e Sahar Khalifeh, duas crianças de 15 anos de Silwan que voltavam para casa depois da escola, e as arrastaram para o bairro judeu da cidade velha. Além disso, em Al Isawiyeh,  Mahmoud Issam Obaid, de 19 anos, foi agredido por um grupo de colonos por estar andando perto do assentamento "French Hill", a caminho de sua casa.

Em outro ataque, em Jerusalém oeste, um colono atropelou intencionalmente  Khalil Al Khames Kiswani, 14 anos, com seu carro e arrastou-o, causando várias fraturas na perna esquerda. Em um caso semelhante, um grupo de colonos atacou a Islam Obaid, 25 anos, atacando-o por trás com ferramentas afiadas em seu pescoço enquanto trabalhava em Deir Yassin. E por último, o jovem palestino Ayob Jaradat, atropelado intencionalmente por um carro de um grupo de colonos em Jaffa Street, em Jerusalém.

Vale do Jordão:

Ahmed Sawafta, 43 anos, foi morto na semana passada por uma bomba deixada para trás depois de militares israelenses usarem a área no norte do Vale do Jordão para treinamentos. Esta não é a primeira vez que um pastor do Vale do Jordão é morto desta forma. Há muito tempo as forças de ocupação israelenses realizam o treinamento militar em áreas habitadas ao Norte do Vale do Jordão com o objetivo de fim de forçar os beduínos a deixar suas casas e comunidades. Há três meses, outro pastor foi morto nessa área e dessa mesma forma.

 

Três colonos do assentamento "Meskyot" perseguiram a Hilal Daraghmeh, 20 anos e residente d Vale Al Maleh e o golpearam até uma patrulha do exército de ocupação chegar e prender ... o jovem agredido. Isso ocorreu enquanto as obras de construção dos assentamentos continuaram em "Meskyot", na área Ain Al Hilweh à custa das terras palestinas.

 

Hebron:

No controle de estrada "Atsyon", norte de Hebron, um colono parou o carro em que o ativista Monther Ziadeh, 23 anos, estava dirigindo. Um grupo de colonos arrastou o jovem, ativo no movimento Juventude Contra os Assentamentos, para fora de seu carro. Monther relatou como eles o agrediram em uma tentativa de matá-lo. Todo o tempo, militares israelenses foi por perto assistindo. Finalmente, eles colocaram uma faca dentro de seu carro enquanto ele estava deitado no chão, a fim de acusá-lo de ser o agressor. Outro grupo de colonos do assentamento "Nahal Naghot", construído sobre as terras palestinas da aldeia Dura, tentaram sequestrar um menino de 11 anos de idade chamada Amir Taha Abu Sharar, residente da vila Afqiqees, a oeste da vila de Dura. Felizmente a tentativa fracassada quando pessoas da aldeia perceberam o ataque e resgataram a criança.

Ramallah:

Um grupo de colonos queimaram partes da casa Huda Abd El Ghani Abd Al Raheem Hamayel, 54 anos, no bairro Al-Sha'ab, parte nordeste de Ramallah. Eles escreveram slogans racistas contra árabes em suas paredes, quebraram janelas e jogaram bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral dentro da casa.

x

Select (Ctrl+A) and Copy (Ctrl+C)